Sexta, 17 Julho 2020 17:11

Mensagem de 12 de Julho de 2020

Avalie este item
(6 votos)

Queridos filhos!

Eu quero neste lindo dia do Senhor, diante das batalhas que o mundo vive, que o mundo sofre, trazer para vocês a riqueza que é Jesus, que é o Pai, que é o Espírito Santo, que é a paz. O mundo precisa, neste momento, de muita paz, paciência, suavidade e mansidão. Porque o sofrimento maior é aquele que está dentro do coração e da alma.

É por isso que, hoje, eu convido vocês a orarem; a pedirem a Sagrada Família de Nazaré – neste mês tão importante, dedicado à família, dedicado a oração e a unidade das famílias – que todas as famílias se unam mais.

O demônio é a tempestade, o barulho, a discórdia, a perseguição e a confusão. Mas Deus é o silêncio. Deus é a paz.

Que as famílias não se deixem levar, seduzir, pelo barulho do demônio. Que as famílias sejam agraciadas e abençoadas pela Sagrada Família. Mesmo diante da dor, da peste e do sofrimento, que as famílias possam dobrar os joelhos, e no mais profundo silêncio adorar Jesus. Pedir a conversão, a libertação e a cura. A cura da Terra – do Brasil e do mundo.

É este o pedido da Mãe do Céu, da Mãe de Piedade, da Mãe de todas as famílias, da Mãe que caminha com os filhos. E, neste momento, caminha junto com vocês de uma forma ainda maior, suplicando a Deus que o homem não colha mais dor do que já está colhendo. Que o homem se converta, seja prudente, que respeite profundamente a Deus e a família.

Que você ame a sua família, ame aquilo que é sagrado. Que você respeite mais o que Deus pede: obediência. Tudo o que vocês passarem, daqui para frente, é o fruto do que vocês plantaram filhos.

Quanto mais sofrimentos vocês sentirem e viverem, mais vocês precisarão ter consciência que depende de vocês: depende da sua obediência, do seu amor pelo próximo e do seu silêncio.

Vocês estão nas mãos de Deus; o mundo inteiro está! Esta grande batalha que o mundo vive hoje, o mundo não estava preparado para viver. Mas, Deus nos alertava e nos conduzia em uma catequese de força e de fé, pedindo: dobrem os joelhos, coloquem-se aos pés de Cristo – aos pés da misericórdia, da Santa cruz – e peçam perdão.

É isso que vocês têm que aprender! É isto que Jesus Cristo nos pede e que a Palavra de Deus ensina. O amor é que vence! É o amor que cura, filhos! Por mais difícil que seja de acreditar, de perceber, mas é o amor que cura. Enquanto o homem continuar egoísta – não pensar no próximo, no mais fraco e respeitar naquele que mais precisa de respeito – o mundo não alcançará a cura; o mundo não receberá a cura. A cura depende do nosso amor! Depende da nossa confiança!

Como Jesus nos ensinou, é muito fácil ter o terço nas mãos, o difícil é orar o terço e confiar em Deus. Entregar a Ele a sua necessidade espiritual, de cura interior, de amor à vida, de amor ao próximo, de respeito às coisas de Deus, de lutar pelas coisas sagradas.

Quando falamos da Sagrada Família de Nazaré, essa palavra ‘sagrada’, nos mostra o quão sagrada é a família para Deus – a sua família, você pai, mãe, filho. Você missionário, sacerdote, é pai também: pai espiritual de todo o rebanho sedento de Deus – a Igreja, a grande família sagrada e abençoada, mas que o demônio tenta perseguir, envenenar e destruir. A quem ele persegue? A você, a sua família – sua casa e seus filhos.

Estamos num momento de ter suavidade; de assumir os erros. Enquanto vocês não assumirem os seus erros, não alcançarão a graça do perdão verdadeiro. A primeira coisa que o mundo precisa é ter consciência que essa dor que vive hoje – não só as pestes, mas todo o sofrimento – foi o homem quem plantou.

Por isso Jesus está acendendo esta chama neste mês da família; mês em que as famílias estão dentro de seus lares. Cada um procurando a proteção, porque o mundo precisa respirar a cura e a libertação, precisa ser exorcizado por Jesus – a sua casa, seus filhos, o Brasil, o mundo todo, filhos!

É preciso buscar a essência do perdão, assumir os seus erros, principalmente quem vive na fraternidade. Quem vive na fraternidade tem que viver para construir! Tem que viver para gerar os frutos da paz! Quantas vezes você é envenenado pelo seu próprio veneno; por sua falta de perdoar alguém – de perdoar, às vezes, até a sua própria família, –; por falta de fazer uma cura interior no seu coração e na sua alma.

Há muito sofrimento espiritual! E quando refletimos sobre a matéria, vemos o mundo inteiro contaminado. Vemos o quanto a matéria é frágil. Muitos são mais frágeis às contaminações do corpo. Mas, Jesus nos dá um alívio: “Mil vezes uma chaga na carne, do que uma só chaga na alma”.

Então, a dor da matéria ainda não é a dor mais forte – o que atinge diretamente ao corpo, não é o sofrimento maior. E, quando falamos do tempo, vemos o sofrimento da família: tristeza, desespero, falta de liberdade para sair, sem poder receber Cristo – sem poder estar ali, louvando, cantando, sendo família, abraçando...

Mas, é um momento de cura para o mundo, filhos! Façam essa reflexão!

Depois de longos dias vocês podem respirar a plenitude do Divino Espírito Santo e refletir sobre a sua cura, a sua missão, o seu ‘sim’, sobre ser servo de Deus, ser missionário e fazer parte dessa missão.

Hoje, Jesus nos convida a essa missão. É um momento de maior ação, mesmo que cada um esteja em seu lar. É um momento de maior ação! Ação do poder da oração, da obra; de você realmente deixar o Espírito Santo lhe mover; deixar o Espírito Santo falar e agir em você, pois senão o fizerem, piores sofrimentos virão. Porque são as consequências do tempo em que a humanidade vive. Não é um tempo de desespero, mas um tempo de esperança, porque nós esperamos e confiamos no Senhor!

O desespero vem para aquele que não confia e não espera no Senhor. Mas, você tem a esperança, tem o Senhor – tem Jesus. Você pode olhar para dentro do seu coração, sentir Jesus e adorá-Lo. Você sabe que Ele lhe toca e vive em você.

É um momento de vocês procurarem a cura. E ela virá!

A partir da sua cura interior, você alcançará todas as curas: do corpo e do tempo. Então, depende de vocês, filhos! Algo, que eu sempre lhes ensinei e que, neste momento, está em suas mãos é que quanto maior for o seu respeito, quanto maior for a sua obediência e quanto maior for a sua sabedoria, maior será a cura do mundo.

O que a humanidade está passando agora, é para a cura da humanidade. A humanidade não tem mais temor e nem respeito a Deus.

Eu espero que pela dor o homem se volte a Deus, mas sei que muitos nem pela dor se converterão, filhos. É por isso, que hoje, vemos tantos e tantos sofrendo; por causa da desobediência de muitos e por causa daqueles que perseguem.

Jesus, hoje, nos pede que não deixemos-nos levar pelo barulho do inimigo e que busquemos a Sagrada Família – o silêncio da Sagrada Família. A Sagrada Família é prova viva de amor a Deus pelo silêncio, adoração, obediência e pela grandiosidade de Jesus Cristo.

Vocês devem fazer isso, filhos! Principalmente, porque vocês sabem a importância da família, da fraternidade e do amor. Mas, é importante, também, que aqueles que estão aqui respeitem o que Deus quer.

Este é um momento em que precisam respeitar uns aos outros. Muitos colherão a dor, o vazio e as tristezas! Mas, toda a esperança deve ser em é Deus. E mesmo que você passe por uma perda, mesmo que o sofrimento leve você a passar por uma perda, existe a esperança! A esperança é Deus. E nada é maior do que Deus, nem mesmo esse sofrimento da Terra. Deus é muito maior. Respire este momento de oração com a sua família, na sua casa.

Este mês esta comunidade estaria em festa. Está! Mas é uma festa diferente; uma festa em que a família vai vivenciar a presença da Sagrada Família e de Jesus no seu coração. Não temos, aparentemente, multidões, mas a essência de um coração, de um povo de Deus que ora e que se une num só coração; do povo de Deus que é uma família, que tem sede e fome de paz e de amor.

Respirem, filhos, profundamente a presença da Sagrada Família e peçam à Sagrada Família para interceder ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo pela cura da humanidade; para que Ele afaste esse sofrimento da Terra.

Neste momento, vocês devem buscar em Deus o que o mundo não tem: uma resposta. E essa resposta virá pela graça Divina. Deus dará para vocês essa resposta. Mas, que o mundo, ao passar por esta experiência, se converta! Que essa Família Fraterna se converta.

Olhando para dentro do seu coração, será que você tem sido um exemplo, como Jesus Cristo quer, dentro da sua casa para a sua família?

Será que você ama a sua casa? Será que você ama a sua família?

Quantos não amam a sua família! Quantos não amam a sua casa! Quantos não amam a sua comunidade! Porque quem ama cuida. Quem ama zela. Quem ama, mesmo diante dos momentos difíceis que vive, – pois uma família não tem só flores, tem espinhos – é unida; jamais persegue.

O Evangelho nos ensina que devemos amar mais, dobrar os nossos joelhos e pedir misericórdia. Então faça a sua reflexão, você que está no silêncio da sua casa.

Como tem sido a sua família: exemplo de fé, amor e luz para seus filhos?

Como tem sido, hoje, o reflexo da juventude ao exemplo dos pais?

Se o mundo está doente, se existe essa peste é porque Deus está dando um alerta. Deus é misericordioso! Ele nos liberta! Mas Deus, também, permite isto para que o homem desperte e acorde. Porque o homem vai plantando tanto sofrimento, que não tem como colher belezas. Ele colhe dor!

É um momento de reflexão, de amadurecimento e de fé. É um momento de cada um colocar a mão sob o seu coração e refletir sobre isso. Quem sou nesta caminhada sobre a Terra – que é uma passagem?

Tudo é do Pai; ninguém é dono de nada. Tudo é do Pai. O Pai nos dá sabedoria para crescer, ciência para evoluir, inteligência para construir e força para vencer. Mas, o Pai também nos pede obediência, conselho, piedade e temor. Porque tudo é do Pai! Nós somos do Pai – a nossa família, o mundo, a nossa terra –, tudo é do Pai! Façam essa reflexão.

Tudo está tão perto de vocês, mais do que podem imaginar.

Depende do seu ‘sim’, da sua entrega, da sua fidelidade e do seu compromisso de fé.

Vocês estão num tempo maior, que é o tempo da justiça de Deus. E tudo que vocês estão passando, até mesmo, aqui, nesta Comunidade Fraterna, é para o crescimento de vocês. Valorizem mais!

Aí daquele que perseguir! Porque este sofrerá.

É um momento de união e de dar as mãos. É um momento de despertar as famílias, de despertar os filhos de Deus e de procurar ver que a Terra sangra e chora por tudo aquilo que a humanidade fez e continua a fazer. Muitas vezes, ela não sabe se colocar diante de Jesus – como num domingo que é o dia do Senhor – e se colocar aos pés d’Ele pedindo: “Perdão! Cura-me! Misericórdia!”.

Neste momento, eu quero dar para vocês a minha bênção.

Neste momento, Nossa Senhora abençoa todos, enquanto cantam: “Dai-nos a bênção...”

Queridos filhos!

Eu lhes abençoei com muito carinho! Eu lhes abençoo, filhos, com muito carinho, porque mesmo diante das batalhas, Jesus nos ensina a amar. Porque o amor vence! Abençoei o mundo. Abençoei aqueles que têm passado por grandes provas, por causa desse sofrimento que está sobre o Brasil e o mundo. Abençoei todas as famílias.

Jesus pede a você pai, mãe e filho: mais amor por sua família. Às vezes, você se sente sozinho na sua família, se sente abandonado por sua família, mas, não raro, é você mesmo quem procura tudo isso. Por falta de amar e respeitar mais a sua família. 

Jesus, sempre nos ensina a dar as mãos, porque a família é um jardim de Deus. Um jardim de Deus não tem só flores, tem batalhas e tem espinhos.

É por isso que vocês têm que se amar mais, filhos. Respeitem-se mais. Cultivem a essência do amor, do perdão e da fraternidade. Enquanto o homem se envolver com barulho e com as armadilhas do demônio, o mundo não receberá a cura.         

Por isso vocês têm que, no silêncio deste dia de adoração a Jesus, pedir a Ele a sua cura. Pedir a Jesus que traga para o seu coração a suavidade do amor, da paz e da esperança. Algo muito bonito que Jesus nos fala: “Deus é maior! Deus é a esperança!”.         

Confiem no Senhor! Esperem no Senhor! E vocês serão libertos desta peste, filhos. Não só desta peste, mas principalmente da pior peste que é o pecado.

Desejo a vocês, paz! E, aos aniversariantes de hoje, muita luz!

Que esse mês, seja um mês edificante para todas as famílias do mundo inteiro, em especial para esta comunidade e para todo o povo de Deus.

A quem me ofertou estas flores belas, eu quero oferecê-las a Jesus e pedir a Ele que as abençoe para cura e libertação dos doentes do corpo e da alma.

Eis aqui a Serva de Deus, a Imaculada Conceição, a Mãe de Piedade, que abençoa os filhos e que pede, também, a Jesus para abençoá-los. Eis que o Senhor me chama!

Última modificação em Domingo, 19 Julho 2020 08:10
Mais nesta categoria: Mensagem de 26 de Julho de 2020 »
Our website is protected by DMC Firewall!